Qual legado a Copa do Mundo de 2014 deixará para o turismo?


Cidades Dicas Eventos Roteiros Hotéis



A Copa do Mundo de futebol se aproxima a passos largos de sua realização no Brasil, em 2014. Um dos maiores (se não o maior) eventos esportivos do planeta acontecerá em nosso país pela segunda vez na história, a primeira foi em 1950, mas diferentemente da primeira Copa do Mundo por aqui, a de 2014 será com muito mais responsabilidades e visibilidade para o restante do planeta.

A preparação para o evento anda em passos de tartaruga, e isso preocupa aos brasileiros, à comunidade internacional, à imprensa e principalmente a FIFA (Federação Internacional de Futebol), que recentemente, através de seu presidente, Joseph Blatter, comunicou que a preocupação é grande com a movimentação das obras para a realização da competição.

Mas deixando de lado esses aspectos de tempo para a entrega das obras e pensando no que vai ficar para o povo brasileiro após a Copa do Mundo, vou deixar aqui a minha visão otimista sobre a importância de todas as obras que acontecerão nos próximos anos e como elas podem impactar, positivamente, para a expansão do turismo no Brasil.

Ampliação dos Aeroportos

Hoje, um dos grandes problemas do Brasil está na estrutura de seus aeroportos. Poucos são aqueles preparados para receber um grande volume de passageiros como é o esperado para o período de Copa do Mundo. Posso me atrever a dizer que apenas o Aeroporto do Galeão – Rio de Janeiro e o Aeroporto de Guarulhos – São Paulo possuem tal condição.

Aeroportos no Brasil

Aeroportos no Brasil. Fonte: algaraviation.com.br

Sou residente em Curitiba e posso afirmar que hoje, o Aeroporto Afonso Pena, não possui condições para receber um grande volume de passageiros. Seja no terminal, como na pista ou nos portões de embarque.  Acredito que, com os investimentos programados, o Aeroporto Afonso Pena se tornará sim uma grande porta de entrada para o país, podendo receber com mais freqüência voos internacionais e aviões de grande porte, fomentando o turismo na região e aumentando a importância da região sul para o turismo local.

A mesma constatação para os outros aeroportos espalhados pelas cidades sedes da Copa do Mundo. Grandes reformas são necessárias, mas todas elas contribuíram para o crescimento do turismo em cada região.

Investimento em Segurança

A insegurança toma conta de nosso país. Mas posso afirmar que não é só o Brasil que sofre com isso, em todos os lugares do mundo a insegurança é presente. A diferença está em como as autoridades lidam com esse problema.

Segurança Pública

Segurança Pública. Fonte: luizfrederico.com.br

O Brasil precisa rever muito do seu planejamento de segurança pública. Algumas ações, como a desocupação dos morros cariocas pela polícia local, ajudam a melhorar a imagem do país perante os propensos turistas, porém, mais atitudes como essa devem ser tomadas e em todas as cidades que serão sedes do mundial.

Preparando a segurança para o período da Copa do Mundo, e tomando essa experiência para aplicá-la no dia-a-dia após o evento, o Brasil ganhará vários pontos com a opinião pública internacional, podendo assim esperar um aumento significativo no turismo, pois as belezas naturais e o entretenimento nós já possuímos, só nos falta prover a segurança necessária para nossos visitantes.

Melhoria nas estradas

As estradas do Brasil estão passando, nos últimos anos, por melhorias importantes, principalmente nos pontos estratégicos do país e também devido à privatização de muitas delas. Mais ainda é preciso muito mais!

Estradas no Brasil

Estradas no Brasil. Fonte: tribunadeituverava.com.br

O transporte por via terrestre será muito comum durante o período da Copa do Mundo, e também é muito utilizado por turistas que visitam o país. Daí surge à necessidade de se investir ainda mais para que as estradas ofereçam condições e segurança para todos aqueles que optarem pelo trajeto via estradas para acompanhar as partidas do mundial. Após essa grande mudança, todos os turistas que forem usufruir de nossas estradas poderão aproveitar muito mais o passeio, com segurança e praticidade.

Vale ressaltar também, que o investimento na educação no transito faz parte desse pacote de melhorias. Hoje, muitos acidentes são decorrentes de falta de atenção e desrespeitos às leis de trânsito. Portanto, um povo mais educado no trânsito é sinônimo de estradas mais seguras.

Transporte Público

Muitas das cidades que sediarão os jogos da Copa do Mundo enfrentam problemas com o transporte público. Ele será fundamental para o deslocamento dos turistas dentro das cidades, no caminho do hotel ao jogo ou aos pontos turísticos.

Transporte público de Curitiba

Transporte público de Curitiba

As cidades deverão investir em alternativas que faça com que o transporte público seja eficiente e mais objetivo, evitando transtornos e facilitando a vida dos turistas. Como moro em Curitiba, posso falar com propriedade do sistema de transporte público da capital paranaense. Hoje ele é modelo para o resto do país, mas mesmo assim precisa de mais investimento. É fundamental que tenhamos ônibus circulando em maior escala, para atender todos os pontos da cidade e que tenhamos também preços justos nas tarifas.

Outras alternativas para o ônibus são as linhas de metrô. Mas para as cidades que optarem por essa alternativa é bom se apressar, pois a Copa está chegando!

Mas o mais importante nisso tudo é que as cidades tenham a consciência de que o investimento não deve ficar restrito apenas ao período de Copa do Mundo. Vamos mostrar aos turistas uma organização que devemos manter após o evento, pois quando esse mesmo turista que vier para acompanhar seu país na Copa, optar pelo Brasil para passar as férias, ele vai procurar por toda aquela infra-estrutura que ele havia encontrado por aqui.

Investimento na rede hoteleira

E por fim, mas não menos importante, o investimento para o crescimento de nossa rede hoteleira. É fundamental apresentar os turistas, condições adequadas para recebê-lo bem, com conforto e praticidade.

Investimento nos hotéis do Brasil

Investimento nos hotéis do Brasil. Fonte: 3.bp.blogspot.com

Deve-se vir, por parte do governo, incentivos para que os hotéis possam ofertar serviços diferenciados e com qualidade superior àquela apresentada hoje. O Brasil possui muitos hotéis bons e já preparados para receber os turistas, mas nem todos possuem as mesmas condições para se hospedar em um grande hotel. Vários turistas guardam suas economias para fazer uma viagem especial em toda sua vida, e possivelmente, a estadia não está entre os maiores investimentos.

Hotéis bons e baratos podem ser fundamentais para atrair um maior número de turistas para o Brasil, e também estimular o turismo local. Por isso, o investimento nessa área, e depois a manutenção da mesma, trará muitos frutos positivos para o turismo no Brasil.

Conclusão

Esses cinco pontos levantados por mim pode gerar ao turismo do Brasil um crescimento significativo tanto no número de turistas internacionais, no incentivo ao turismo local, e principalmente, na receita com tantas pessoas viajando pelo Brasil. Vamos torcer para que nossos governantes consigam seguir a risca todas as recomendações de investimento em infra-estrutura para a Copa do Mundo e que quando prontas, e após a Copa do Mundo, tudo aquilo que foi feito possa ser usufruído pelos cidadãos brasileiros e pelos turistas que venham visitar nosso país.

Que o legado deixado pela Copa do Mundo de 2014 seja lembrado por muitos anos e só traga bem-feitorias para o Brasil.

Aproveite o espaço do blog da FalaTurista e deixe a sua opinião sobre esse importante assunto para o país.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre Flávio José
Author Image
Formado em Relações Públicas pela PUC/PR. Autor de artigos relacionados ao turismo, música e diversão. Adora viajar e conhecer novos lugares e culturas. Casado há 2 anos. Residente em Curitiba

6 Respostas para “Qual legado a Copa do Mundo de 2014 deixará para o turismo?”


  1. eu adorei isto pq eu fiz um trabalho e tirei um 10

  2. tayna magalhaes de jesus

    gostei bastante desse artigo,me ajudou bastante a elaborar meu trabalho que cujo tambem e sobre essa materia valeu flavio jose…ate a proxima

  3. thayna da sila

    me ajudou bastante no meu trabalho de escola


  4. Olá, Flávio!

    Gostei dessa sua visão otimista, mas tenho uma pergunta: você não acha que esse investimento exagerado no setor hoteleiro acabará se transformando em prejuízo quando a copa do mundo acabar? Você acha que o Brasil será capaz de desenvolver políticas de incentivos e que promovam a atração de turistas a fim de manter a mesma estrutura e evitar que ela se torne obsoleta?

    Um abraço,

    Andréa Novais

    The Brazil Business


  5. Olá Andréa,

    ótima pergunta!

    Acredito que esse investimento na hotelaria brasileira se faz necessário independente dos grandes eventos. Nosso país está vivendo um momento muito favorável para o turismo, recebendo turistas do mundo inteiro (além do turismo local). Nossa estrutura ainda é carente de bons hotéis e de mais acomodações em algumas das principais cidades turísticas (e algumas delas são sedes da Copa). Por isso, no meu ponto de vista, esse investimento é muito válido.

    Abraços!

  6. Vinicius Amorim

    “Os 32 heróis”.

    A cada quatro anos, 16 times não só movimentam a economia, como salvam a infra-estrutura de países como foram nossos descobridores (Fadistas), em 2004. Após a Eurocopa, as melhorias na logística, hospedaria, ruas, avenidas e transporte em massa saltou de podemos dizer: “Nota 3 para 8″.

    O que falar então de uma competição que tem um peso maior, digamos assim: Intercontinental.

    Na África do Sul, será que não houve uma só melhoria, um só benefício, ao sediar a décima nona edição da Copa do Mundo?!

    Acha que não havia corrupção e outras prioridades?! Acha então que investidores de peso, investiriam por puro humanitarismo em um hospital de Base, na Cidade do Cabo?!

    “A vez dos Brazucas”.

    Nossas prioridades sãos as mesmas de outras sedes de Jogos Olímpicos e Copa do Mundo, com toda a certeza, seria bem mais benéfico investir R$ 350,00 em uma Maca de hospital, do que cerca do mesmo valor pago em cada uma das 78 mil cadeiras do Maracanã.

    Mas, é tudo “business”, não conte com o bom senso da humanidade. Pois, é utopia achar que tudo que foi escrito em 1988, em especial no Artigo 5º, garanta que ocorra. O Decálogo recebido no Monte Sinai, é bem mais importante e não vejo a soberania de nenhuma das 10 leis até hoje.

    Portanto, apesar de compreender, não concordo com a total antipatia em se investir em cultura e turismo, seja de qualquer natureza.

    Vinícius Amorim

Deixe seu comentário


Acesse o FalaTurista
Receba nossas promoções